Novas rotinas, em um mundo mais digital, estão potencializando consumo de cosméticos

O isolamento social que obrigou as pessoas a estarem mais em casa mudou a rotina de cuidados e reascendeu a tendência mundial do “Faça você mesmo”. O fechamento dos salões levou a uma descoberta dentro das casas das consumidoras, que passaram a ver o lar também como local dos cuidados pessoais. Esse novo comportamento tem se prolongado mesmo após a abertura dos salões. É uma evolução que potencializou novas rotinas de beleza.

Conhecer esse novo comportamento, aliado aos números do setor, que cresceu cerca de 10% ao ano nos últimos 10 anos, de acordo com a Associação Brasileira da Indústria de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos (Abihpec), é um sinalizador para mensurar o potencial do segmento. Em fevereiro de 2020, a entidade estimava que 1,5% do orçamento das famílias era gasto em produtos e serviços do setor.

O segmento de cosméticos é um dos poucos que apresenta perspectiva positiva para fechar o ano. De acordo com dados da ABIHPEC, o setor pretende crescer no país em torno de 1,1% este ano, em relação ao mesmo período no ano de 2019. Grande parte deste resultado é reflexo do aumento expressivo no consumo de produtos do que chamamos “cesta Covid-19”, que abrange itens como: o álcool em gel, sabonetes, shampoo, papel higiênico, lenços e toalhas de papel.

Entre estes produtos diretamente relacionados ao combate do coronavírus, segue em destaque o álcool em gel, que de janeiro a maio deste ano, vendeu mais de 6,3 mil toneladas, contra 0,2 mil toneladas no mesmo período em 2019 em todo o Brasil.

Na Cigel, a alta procura por produtos de higiene pessoal vem motivando um crescimento nos últimos anos. A empresa vem crescendo exponencialmente, renovando maquinários e se modernizando para acompanhar essa demanda vinda do mercado. "Mais do que fortalecer nossa primeira praça, o Ceará, estamos trabalhando fortemente na expansão da Cigel para as regiões Norte e Nordeste e isso tem puxado essa necessidade de crescimento do nosso industrial”, revela Paulo Gurgel, presidente da Cigel Cosméticos.

Compartilhe: