Quais aprendizados a pandemia trouxe para o varejo?

 

Mesmo em meio a um cenário controverso, um fato é unanime: todos os setores da economia de alguma forma foram impactados pela pandemia e tiveram que se reinventar da noite para o dia. Os estoques passaram a se tornar um problema, já que os níveis de vendas ou caíram ou aumentaram drasticamente a depender do setor de atuação.

Com cenário ainda incerto alguns aprendizados já podem ser tirados do momento, tudo mudou e a principal lição para o varejo, é que o consumidor foi o que mais se transformou em seus hábitos, gostos, formas de compra e de definição de prioridades.

As empresas que atuam com produtos essenciais, entre eles sabonetes antibacterianos e álcool em gel, como é o caso das marcas da Cigel Cosméticos, tiveram um estouro na demanda nos canais tradicionais como distribuidores, atacarejos e canal farma. Já marcas que tiveram suas lojas físicas fechadas precisaram rapidamente se reinventar potencializando seus canais digitais, dos mais complexos, como a criação de e-commerce aos mais usuais, como o atendimento ao público pelo WhatsApp e Instagram.

Outro fator de destaque que deve ser analisado é a mudança de prioridade dos consumidores. Segundo dados do IBGE , a taxa de desemprego no Brasil subiu para 14,6% no trimestre de julho a setembro, último período avaliado pelo órgão. Esse fator também deve ser um norte a ser considerado para traçar novas métricas de marketing e vendas.

Um passo importante para os varejistas é reformular os espaços dados a produtos que hoje são considerados essenciais para o shopper, esses itens podem ganhar mais destaque e volume já que vão girar mais rápido no PDV. Outra tendência é apostar em embalagens maiores, já que o consumidor está buscando ficar mais em casa, com isso as compras passaram a ser maiores e com menor frequência.

Compartilhe: