Pagamento do 13º salário espera injetar 5,31 bilhões na economia brasileira

O pagamento do 13º salário deve injetar 5,31 bilhões na economia do país, proporcionando a 2,8 milhões de pessoas, entre elas: trabalhadores do setor privado, servidores públicos e beneficiários do INSS, um valor médio de R$ 1.758,64. É o que aponta a estimativa do Dieese.

O Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil cresceu 7,7% no terceiro trimestre, na comparação com o segundo trimestre deste ano. Os principais destaques do PIB no 3º trimestre foram atividades industriais, com  crescimento de 23,7% das Indústrias de transformação. Também houve aumento para eletricidade e gás, água, esgoto, atividades de gestão de resíduos (8,5%), construção civil (5,6%) e indústrias extrativas (2,5%).

Nos ramos de serviços, todos os setores cresceram: comércio (15,9%), transporte, armazenagem e correio (12,5%), outras atividades de serviços (7,8%), informação e comunicação (3,1%), administração, defesa, saúde e educação públicas e seguridade social (2,5%), atividades financeiras, de seguros e serviços relacionados (1,5%) e atividades imobiliárias (1,1%).

A notícia anima o comércio varejista que já temia retração pelo fim do auxílio emergencial, especialmente ainda em cenário de pandemia. A injeção do 13º deve contribuir para manter a dinâmica da atividade econômica.

Na Cigel Cosméticos, esse ânimo já estava sendo percebido. Segundo Paulo Gurgel, presidente e fundador da Cigel durante 2020, a empresa, que faz parte do setor de HPPC - Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos teve a satisfação de ser percebida como fabricante de produtos essenciais e com isso, garantiu uma vantagem competitiva. “Para ilustrar, nosso crescimento planejado para o ano todo de 2020 que era de 25%, passou a uma perspectiva de 40% em crescimento de vendas”, revela Paulo.

No varejo, os empregos foram preservados, a oferta está crescendo, as vendas também, o e-commerce está se desenvolvendo e superando expectativas, ou seja, são apontados bons tempos para o setor, nesse Natal.